sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Santa Faustina Kowalska

Vocação

A vida espiritual de Helena começara cedo. Em seu Diário escreve: Quando eu tinha sete anos ouvi pela primeira vez a voz de Deus na minha alma”. Depois da preparação recebida do Pároco, Pe. Romano Pawlowski, em 1914 faz a Primeira Comunhão, momento que muito lhe marcou:Eu estou contente porque Jesus veio ter comigo e agora posso caminhar com Ele”. A oração se torna mais assídua e fervorosa. A mãe a encontrou várias vezes ajoelhada no chão, principalmente de noite. Helena lhe explicava:tenho certeza de que é o meu Anjo que me acorda”.
Os pais não aceitam facilmente a vocação da filha Helena. Em 1920 e 1922 a jovem lhes pede permissão para entrar no convento, mas os pais o recusam. Não possuem recursos para lhe dar o dote necessário, estão mergulhados em dívidas – e, acima de tudo, estão muito ligados à filha. Neste período recebeu o sacramento da Crisma, em Aleksandrów (1921). De modo especial a adolescente escuta com atenção as homilias dominicais, repetindo-as durante a semana, e também a leitura da Bíblia feita pelo seu pai, que mantém em casa uma pequena biblioteca.
Com dificuldades Helena iniciou os seus estudos (1917). É obrigada a interrompê-los a fim de poder trabalhar como empregada doméstica. Aos 14 anos disse à mãe:
Papai trabalha muito e eu não tenho com que me vestir aos domingos; sou a mais mal-apresentada de todas as moças. Irei trabalhar para ganhar alguma coisa”. O desejo de se consagrar totalmente a Deus lhe acompanha, mas, ante as dificuldades, por um tempo Helena desiste da idéia. Entrega-se, então, à “vaidade da vida”, aos “passatempos”, como anos depois escreveria em seu Diário.
Deus, porém, não volta atrás. Estando um dia num baile com sua irmã, uma visão de Cristo Sofredor interpela a jovem Helena:
Até quando hei de ter paciência contigo e até quando tu Me desiludirás? (Diário, 9). Decide entrar no convento. Bateu em várias portas até ser acolhida no dia 1º/08/1925 na clausura do convento da Congregação das Irmãs de Nossa Senhora da Misericórdia, em Varsóvia. Foi tentada a deixar essa comunidade várias vezes, mas Jesus lhe apareceu e exortou: Chamei-te para este e não para outro lugar e preparei muitas graças para ti” (D. 19).
Observar neste mês dedicado as vocações, o quanto Deus nos ama e quer contar com cada um de nós para o serviço alegre, é sentir-se profundamente amado ( a) por Um Deus que é poderoso, mas se faz tão singelo e simples que nos desconcerta. Pois é amados, eu de fato estou meio que atravessando uma certa crise vocacional, mas é confortante o cuidado de Deus para comigo neste momento, Ele já se encarregou de me cercar de me proteger e de dizer a mim de diversas formas que me quer do lado Dele. É fato que não sou vocacionada a vida religiosa, mas na minha vocação de leiga, como missionária zeladora de uma capelinha da Misericordia em minha paróquia, nesta posição, Deus me cerca com seu cuidado e com seu amor tão grande que me sinto desconcertada. Amados! somos vocacionados a fazer a vontade de Deus, não importa se como religioso ou leigo, nossa vocação é sermos servos de Deus. Aqui, do meu lugar, na vida de missionária zeladora, vivo minha vocação, com altos e baixos, lutando para deixar Deus conduzir minha vida. E você,  já decidiu entregar a sua vocação nas mãos de Deus? Se hoje sou a missionária que sou, é porque deixei Deus ser Deus na minha vocação. Sofro muito é verdade, mais orientado por Bento XVI, venho aprendendo a "perder para ganhar ". Infeliz daquele que ainda não descubriu o quanto vale desgastar-se pelo reino de Deus. Deus nos dá o melhor sempre: Não dê para Deus as suas migalhas, o que sobra do seu tempo! Dê a Ele o que de melhor tiver, eu garanto que você não irá se arrepender nunca...
Por Luciene Maria
Vamos rezar? 
 Para aqueles que Estão fazendo a Novena da Anunciação de Nossa Senhora: Clik Aqui: Esse Convite é para você!

Vamos cantar?









 (D. 611)
Santa Faustina Kowalska: rogai por nós!

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Você não está só

Padre Antonio Aguiar
Leia e reflita sobre este pensamento de Santa Faustina: “Nos maiores suplícios da alma sempre estou sozinha, mas não sozinha, porque Convosco, ó Jesus, mas aqui estou falando das pessoas. Nenhuma pessoa humana compreende o meu coração, mas não me admiro disso agora, porque antigamente me admirava que as minhas intenções fossem condenadas e mal compreendidas, mas agora não me admiro disso absolutamente. As pessoas não sabem perceber a alma, elas vêem o corpo e julgam de acordo com o corpo, mas, assim como o céu está distante da Terra, também distantes estão os pensamentos de Deus dos nossos pensamentos.” (Diário 1445).
Meus amados... Fazer a vontade de Deus acontecer!!! Ser de Deus não é nada fácil, optar por ele, pior ainda... oração! Senhor, ajudá-me a fazer unicamente aTua vontade. Mesmo que a Tua vontade, seja totalmente diferente da minha, mesmo que as minhas forças já não sejam mais suficientes e eu precise que a Tua mão Poderosa venha me levantar. Senhor, dai-me Tua mão!!!

Com Tua mão

Suely Façanha

Com tua mão, ó meu Senhor Segura a minha...
Pois não me atrevo a um passo só
Sem teu amparo, sem teu apoio
2x

Eu não darei, eu só iria fraquejar Eu andaria a vacilar

Sem tua mão a me sustentar...
Mas se tua mão me segurar
Eu correrei até... voar.....
Subirei apoiada em ti

Com tua mão, ó meu Senhor Segura a minha...

Pois não me atrevo a um passo só
Sem teu amparo, sem teu apoio

Eu não darei, eu só iria fraquejar Eu andaria a vacilar

Sem tua mão a me sustentar
Mas se tua mão me segurar
Eu correrei até....voar....
Subirei apoiada em ti

Eu só iria fraquejar

Eu andaria a vacilar
Sem tua mão a me sustentar
Mas se tua mão me segurar
Eu correrei até.... voar....
Subirei apoiada em ti
  
Oração não é tempo perdido, não é tirar o tempo das nossas atividades, incluindo as apostólicas, é exatamente o contrário: só se formos capazes de ter uma fiel vida de oração, constante, confiante, será o próprio Deus a nos dar força e capacidade para viver de modo feliz e sereno, superar as dificuldades e testemunhá-Lo com coragem”
O Pontífice lembrou que a oração sempre perpassou a vida de São João Batista, sendo a fonte desse exemplo de força e vida reta e coerente, gasta por Deus para preparar o caminho para Jesus. “Toda a existência do Precursor de Jesus é alimentada por um relacionamento com Deus. (...) Mas João Batista não é apenas um homem de oração, de contato constante com Deus, mas também um guia para este relacionamento”.

O Papa lembrou ainda que as pregações de João Batista procuravam convidar as pessoas não só ao arrependimento,  a fim de preparar o caminho para acolher o Senhor, mas também para reconhecer Jesus como o Cordeiro de Deus. “Tem em si a profunda humildade de mostrar Jesus como o verdadeiro Mensageiro de Deus, colocando-se à parte para que Cristo possa crescer, ser escutado e seguido”.
 Bento XVI
Vamos cantar?

 Para aqueles que Estão fazendo a Novena da Anunciação de Nossa Senhora: Clik Aqui: Esse Convite é para você!